Não "quebre" na prova - 15 dicas

Data: 14-NOV-2019   |     446

Você já ouviu a expressão: “quebrei” em treinos ou principalmente em provas de corrida de rua?

A “quebra” como muitos dizem, se refere a redução do rendimento, queda de performance e incapacidade de manter o mesmo ritmo ou “pace” que vinha desenvolvendo ao longo do percurso em uma prova ou mesmo em um treino.

Confira esses 15 tópicos que podem te ajudar a evitar este tipo de situação:

  • Recuperação inadequada da musculatura/tendões e articulações no último ciclo de treinamento pode fazer você começar a correr já em débito. Aposte no polimento, fase se final de menos volume.
  • Pouco sono profundo e reparador ao longo da semana ou na véspera do próprio evento colabora para a falta de força, predispõe a fadiga e a falta de concentração.
  • Alimentação baixa em vitaminas, minerais ou carboidratos essenciais. Pois sabemos bem que sem o devido combustível em alta e na concentração certa podem acarretar redução do rendimento.
  • A baixa concentração de ferro na corrente sanguínea, pela dieta inadequada ao longo do tempo, interfere diretamente na performance, as hemácias transportam oxigênio e dependem do ferro para sua maior eficiência.
  • Alimentação pré-evento inadequada ou desequilibrada com excesso de gordura.
  • Consumo de álcool ou tabaco ou assemelhados.
  • Desidratação ou desequilíbrio de sódio/potássio.
  • Uso inadequado de estimulantes (cafeína) ou outros.
  • Aumento da velocidade desproporcional na prova, pela empolgação do evento, diferente ao que vinha treinando.
  • Acelerações ou desacelerações bruscas no percurso em razão da altimetria. O ideal é dosar nas descidas e subidas.
  • Taxa de açúcar baixa e falta de estratégia de tempo de uso de carboidratos no percurso, é importante o uso regular de carboidratos de correto índice glicêmico em corridas de curta/média ou longa distância.
  • Estréia de um tênis ou meia no dia do evento, o que pode causar calos ou dores.
  • Uso de analgésicos, anti-térmicos ou medicamentos sem o acompanhamento médico.
  • Aumento da ansiedade e consequentemente dos hormônios adrenérgicos, acarretando um stress demasiado.
  • Falta de um acompanhamento profissional de treinador especializado, seja das cargas de treinamento, ciclos, e ou toda a assessoria para trazer mais tranquilidade e conteúdo para seu maior rendimento e performance com saúde plena.


Espero ter ajudado e nos vemos por aí, seguimos #EMTREINAMENTO

Darlan Souza

"

Escrito por Darlan Souza

Sou treinador e maratonista com 27 maratonas (4 Uphill 42k Marathon e 1 Dopey Challenge 87k RunDisney), atualmente treinando pessoas e correndo em busca das Six Majors Marathon.
Antes de correr maratonas, praticava futebol e musculação e corria de maneira totalmente recreativa, apenas para me manter a forma.
Sou Pós-Graduado em Educação Física (CREF 015393 G/RS), ainda na acade...


        



conhecer Darlan Souza

Gostou da matéria?
Cadastre-se em nossa newsletter

5 DICAS QUE PODEM AJUDAR NO LONGÃO.

5 DICAS QUE PODEM AJUDAR NO LONGÃO.

Confira aqui dicas que podem te ajudar nos treinos, você vai achar a última loucura......

continuar lendo

Importância da musculatura do quadril na corrida

Importância da musculatura do quadril na corrida

A musculatura do quadril é extremamente importante durante a corrida, falando especificamente dos extensores de quadril o Glúteo...

continuar lendo

Oração do corredor

Oração do corredor

Gravei essa oração com muito amor e deixei disponível no meu canal do Youtube pra você compartilhar com seus amigos corredores...

continuar lendo

Mari Ultra - Circuito Mata Atlântica de Minas

Mari Ultra - Circuito Mata Atlântica de Minas

Câncer de pele - Ultramaratonista Marilélia Rocha corre sem fins lucrativos em uma campanha para o alertar a população. Desta ...

continuar lendo

Canelite - A número 1 dos corredores

Canelite - A número 1 dos corredores

Cá estamos mais uma vez para mais um post sobre mais uma lesão que atinge os corredores . Dessa vez chegou a hora de falar da ...

continuar lendo