Atividade física durante a pandemia de coronavírus

Data: 15-MAI-2020   |     180

Rápida e incontrolável disseminação do novo Coronavírus (SARS-CoV-2) pelo mundo aliada à sua gravidade fez com que a Organização Mundial da Saúde (OMS) caracterizasse a situação como pandemia. Diante da orientação para que as pessoas fiquem em casa, é fundamental que sejam incentivadas e posteriormente ampliadas as ações para a adoção-manutenção de uma rotina de vida fisicamente ativa. O estilo de vida sedentário é prejudicial para o nosso sistema imune, fundamental para reduzir a possibilidade de infecção viral. Além disto, o fato de ficarmos “parados” e muitas vezes nos alimentando inadequadamente favorece o ganho de peso, o aumento da pressão arterial, da glicose (açúcar) e lipídeos (gorduras) no sangue, o que aumenta o risco de doenças cardiovasculares e metabólicas, como a hipertensão e o diabetes, os quais têm sido associados a pior prognóstico em pacientes idosos acometidos pela COVID-19. As recomendações da OMS para indivíduos saudáveis e assintomáticos são de no mínimo 150 minutos de atividade física por semana para adultos e 300 minutos de atividade física por semana para crianças e adolescentes. Esse tempo de atividade física deve ser acumulado durante os dias da semana, podendo ser dividido de acordo com sua rotina.

É importante esclarecer que a prática de ‘atividade física’ compreende qualquer atividade motora que resulte em um gasto energético acima dos níveis de repouso, ao passo que a prática sistematizada, devidamente elaborada e prescrita considerando variáveis de treinamento visando objetivos específicos é denominada ‘exercício físico’. Dessa forma, enfatizamos que ambas atitudes são de fundamental importância para esse período de isolamento social. Neste sentido, recomenda-se fortemente um estilo de vida fisicamente ativo em ambiente domiciliar durante essa pandemia, preferencialmente orientado por um Profissional de Educação Física.

ABAIXO ALGUMAS DICAS PARA UMA ATIVIDADE SAÚDAVEL DENTRO DO AMBIENTE DOMICILIAR.

Mantenha-se ativo, seja realizando atividades físicas ou exercícios físicos; Opte por praticar atividades físicas em sua casa ao invés de sair para espaços compartilhados (como academias, clubes de ginástica coletiva, etc); As atividades de vida diária são excelentes alternativas para manter uma rotina fisicamente ativa. Varrer a casa, passar pano no chão, arrumar o jardim, horta ou quintal, lavar louça, arrumar armários, pequenas reformas, mudar a posição dos móveis, subir e descer escadas, brincar com animais de estimação são algumas das inúmeras atividades físicas que deverão ser incentivadas e praticadas. Dance! Esta é uma excelente atividade física! Explore o ambiente residencial para manter-se ativo (jardim, garagem, escadas e rampas, etc);

Na ausência de acessórios para execução de exercícios físicos resistidos (de força), utilize o peso corporal ou adapte utensílios diversos (por exemplo, garrafas pet para simular halteres, almofadas ou elásticos podem ser usados para oferecer resistência aos movimentos);
Reserve momentos para alongamento e relaxamento. Isso poderá ajudar no combate ao estresse e ansiedade decorrente do isolamento domiciliar;
Evite permanecer por longos períodos sentando, deitado, ou utilizando dispositivos eletrônicos. Busque intercalar momentos de inatividade física com momentos fisicamente ativos (por exemplo, a cada 15-30 minutos parado, realize 15 minutos de atividade física; movimente as pernas e braços enquanto estiver sentado ou deitado; assista TV em pé por alguns minutos);
Reforce a atenção para que seus filhos não tenham comportamento sedentário. Tire as crianças e adolescentes do sofá e da frente das telas e convide-as para brincar e se exercitar. Integre seus filhos nas atividades domésticas cotidianas de sua casa. Brinque e se divirta com seus filhos. Ensine a eles brincadeiras que movimentam o corpo (amarelinha, pular corda, pique-esconde, circuitos de atividades com garrafas pet, jogos com pagamento de prenda, bambolê, batata quente, corrida de saco, dança das cadeiras, bobinho, cabo de guerra, cabra-cega, corrida da vassoura, corrida do ovo na colher, entre outros).

"

Escrito por LUIZ HENRIQUE ALMEIDA

PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA
ATLETA FEDERADO PELA CBAT
ULTRAMARATONISTA
PROPRIETÁRIO DA L.A ASSESSORIA DE CORRIDA DE RUA E TRAILRUN
IDEALIZADOR DO CANAL VIDA CORRIDA
YOUTUBE...


  



conhecer LUIZ HENRIQUE ALMEIDA

Gostou da matéria?
Cadastre-se em nossa newsletter

New Balance TEMPO - Mais RÁPIDO que o 1080!

New Balance TEMPO - Mais RÁPIDO que o 1080!

Não perca seu ritmo na corrida com o novo Tênis New Balance Fresh Foam TEMPO. Projetado para atletas em movimento, o Tênis New ...

continuar lendo

“Corrida Nossa” - o

“Corrida Nossa” - o "Pai Nosso" do Corredor

Corrida nossa que estais no chão,
Santificado seja o nosso hobbie,
Venha a nós o nosso tênis,
Seja feito o nosso...

continuar lendo

Lançamento RAZOR 3! Criado pra fazer você VOAR!

Lançamento RAZOR 3! Criado pra fazer você VOAR!

O Tênis Skechers Go Run Razor 3 Hyper, vencedor do prêmio World® Gear do ano já está aqui na Keep Running Brasil!...

continuar lendo

Dicas para a volta aos treinos de corridas após o fim do isolamento

Dicas para a volta aos treinos de corridas após o fim do isolamento

Muitos corredores não veem a hora desta pandemia passar o quanto antes para retomar os tradicionais treinos e sentir novamente o...

continuar lendo

Como voltar a correr depois do isolamento

Como voltar a correr depois do isolamento

Sabemos que a grande maioria das pessoas estão a meses sem correr. Algumas correndo em casa , outras fazendo funcional em casa, m...

continuar lendo